Textos


Compositor

Madrugada a canção surgiu
O compositor atônito
Com os olhos cheios de esperança
Abre-se vácuo na memória
Volta-se para o caderno rabiscado
Eriça o cabelo, o amor aplaude.

O compositor canta e encanta.
Com as fendas espaçadas no mapa
Na espera do amor não vivido
Pensamento volúvel
O compositor, de olhar contente,
Abre caminho da igualdade
E afaga o ventre da noite.

Banha-se no sol imaginário
Lava as pálpebras de doçura
A chegada lenta do socorro
Clareia o morro de justiça pura.

O compositor estende a mão
O ventre da noite se refaz
O artista se entrega à esperança vã
Adormece, o sonho o entorpece
Enquanto a madruga apetece
Um claustro de amor sem fim
Eu me entrego a caricia do amor divino.
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 10/05/2018
Alterado em 10/05/2018


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr