Textos


Bem-estar
- Sericita 55 anos - 

Nos porões da humilde consciência
Onde a clemência existia
Nutria-se de esperança mil
A bonança perfeita do amor.

A vida era boa e de compreensão
De antemão aceitava-se justificativa
Para toda tratativa material
Desde que não houvesse imperfeição

A uva no pomar esnobava beleza
Na certeza de que dias melhores viriam
Em todos os quintais da redondeza
A priorizar o amor e a vida.

O berro impactante do bezero
Desterro de mal súbito do gado
Que no prado obtinha alimento
A fornecer a carne, o leite e o pão.

O lavrador ainda ara a terra
Mas na grelha faz seu churrasco
O progresso o livrou do fracasso
Vivido por incontáveis gerações.

No campo o progresso não está pronto
E garanto que nem acabado...
La se toma cerveja e cachaça da boa
Exalta-se a vida no amor que se ateia.

Tantos jovens reunidos o antigo a jubilar
A reparar a doce invenção humana
Sericita seus cinquenta e cinco anos
De Emancipação na praça a comemorar.
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 29/01/2018
Alterado em 31/01/2018


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr