R J Cardoso

Poesia de Amor

Textos


Lago Paranoá
 
Misterioso lago, das moedas
E de outros tipos de poluição
Da corrosão do ferro, do aço
Do cobre ou do metal
Da supertição da prata
Do bem e do mal a entorpecer
Corpo, alma e coração...

Lago que mal se vê do chão
Das altas torres e do avião
Onde nada é tão sério
Brasília que no começo era mistério
De forasteiros e de Candangos
A construir essa tão grande nção.

Agora de politico abastado
E de perdida ilusão
De roubo e corrupção,
Salários astronomicos
Onde o poder econômico
Tem tem sua persuação
Corre a passo largo
A repetir a história
E manter um tal de centrão.

Brailia de Niemaier e tantos
Outros arquitetos,
Onde o futuro reto
Dirigido será por essa nação.

E quando sair o presidente
Será que vou poder ao mundo inteiro cantar:
“Livre estou, livre estou” dessa tal corrupção?
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 26/01/2018
Alterado em 28/01/2018


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras