Textos


Ladainha

Foi como sopro do vento
Que não havia, palavra de carinho
Quando a notícia nem existia
Um apelo de paz, que se faz
Quando guerra não se prevê.

O cenário era de amor...
Olhar de paixão...
Sonhos, terra, água e ar e vida...
Sensação que se tem
Quem despreza a falsidade

Encanto dum cuitelinho à flor
Como se dizia no começo
Do século passado...
E aqui só estou porque em seu meandro nasci.

O cantar da seriema, lá longe
Muito longe se ouvia
 E eu não esqueço jamais
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 14/01/2018
Alterado em 14/01/2018


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr