Poesia Amor

Vida, presente de Deus

Textos


Afoito

Chega um dia em que o homem
Nada mais sente...
A vida já não importa
Espaço aberto ou fechado tanto faz,
Atem-se no seu eu.
A vida não se ajusta ao seu anseio...
Tudo é muito desigual

O filho não vale um zero a esquerda
Abaixa a cabeça, entra e sai
Da condução e ignora todo mundo
Empurra o idoso, as grávidas.
E nega ao cego a mão ...

Nega a palavra, o essencial para começar o dia:
- Bom dia! - Assim mesmo com alegria
e entusiasmo de um ser vivente -
Cuja emoção sente a felicidade no seu tempo.

Não afaga, mas reinvindica...
Diante do estado de sofreguidão.
O colo materno não mais o atrai
Porque a natureza apresenta deformações
O canto não mais interessa
Porque chega um dia em que o homem
Nada mais sente...
Estou preso a essa corrente
Cujo elo dificilmente irá se desatar.
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 10/08/2017
Alterado em 11/08/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras