Textos


Paixão desfeita

Abri a janela e lá fora
O vento deitava a plantação
Qual mãe a acariciar a cria
Para não ferir o solo inabitado.

Na revoada dos passarinhos sobre as flores
Senti-me tão sozinho
Que o soluço me invadiu
Mas na imensidão do amor minha alma se refez.

Aos poucos o sol despontava na montanha
Além do horizonte que eu via
No chão em que eu vivia
E cheio de contemplação o amor a vida reinventava.

Passara a magia do sonho colorido
Que tantos anos durara
E corações enfeitara
Na mais perfeita e desejada harmonia.

E agora - Não choro eu nem chora voce -
Tudo se fez rexistir
Ao pensar no porvir
Que não aconteceu à fracassada paixão?

Porém, o canto ainda hoje é de amor...
Avesso à rebeldia sigo meu caminho
Tentando não ser tão sozinho
No mundo em que Deus ainda é maior o criador?
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 06/08/2017
Alterado em 07/08/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: inoc/flickr