Poesia Amor

Vida, presente de Deus

Textos


Luz

No inicio tudo muito bom
Depois ficou monótono,
Marasmo total, algo sem igual
A flor que era viçosa
Manteve a calma, silenciou a prosa
No sol matinal de outono.

Semblante indescritível exibia
Por entre a folhagem.
Do colorido da vida
O cedro reclamava,
O beija-flor a seguia
Semeando amor madrugada afora.

O vento balançou, o caju caiu
E esbugalhou-se no deserto fecundo
Onde ninguém o via
Porque lá não se podia pisar
Apenas olhar a distância
E o amor eternamente contemplar.

Que venha o brilho do poeta e ilumine:
O Rio de Janeiro, Copacabana,
(*)“Angra dos Reis, e Ipanema
Iracema, Itamaracá – que bacana -
Porto Seguro, São Vicente
Braços abertos sempre a esperar.”

(*) Descobridor dos sete Mares: composição de Michel / Gilson Mendonça
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 12/07/2017
Alterado em 15/07/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras