Poesia Amor

Vida, presente de Deus

Textos


Grito de alerta

Meus sonhos não estão à deriva
Porque o navio não existe e o mar
Evaporou-se na alta temperatura
Que esturricou o ditador
Ao negar esmero simples à natureza

Em minhas mãos umidade já não existe
Das ondas se batendo só lembranças
E desapareceu dos meus dedos
O liquido que coloria a areia deserta.

O vento que vem do norte,
Já não causa mais arrepio
Por entre brasas e labaredas
Vai matando meus sonhos
De luta e infinitamente aguerridos

Choro inventarei se necessário for
Para fazer com que El ninho
E La ninha desapareçam
Na mais quente estação do ano.

Depois que tudo estiver perdido
Chorarei nas praias desertas
De águas inexistentes
E de olhos vendados e sem lágrimas
Minhas mãos sedentas para o nada apontarão,
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 06/07/2017
Alterado em 06/07/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras