Poesia Amor

Vida, presente de Deus

Textos


Agora ou nunca

Para aliviar o coração
Abro mão do passado
Apaixonadamente apaixonado
Demito a solidão,
Me faço forte
Conto com a sorte
E lhe falo da razão
Das coisas do dia-a-dia
Do leste, sul e norte,
Visito a mãe d’água
Que vai me dar aporte
No galho da aroeira
Alinhar meus sonhos
A atividade primeira
Acreditar nos amigos
Livrar-me do perigo
Mesmo quando eu falar
Ou praticar asneiras
Valorozar o canto do menestrel
Deixar a vida fluir
Pousar em qualquer lugar
Badalar andar a toa
Amar sem restrição
A nobreza da patroa
E quando a voz rouca chamar
Para o céu habitar
Oro, e de joelhos estendo
A mão ao Cristo Redentor
Sigo a dura realidade
Porque na verdade
Sou filho deste chão.
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 02/07/2017
Alterado em 02/07/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras