Poesia Amor

Vida, presente de Deus

Textos


Rio de Janeiro

O encanto transformou-se em desencanto
E pôs tudo a perder
Fez lágrima rolar
Luz se apagar
E a mais alta Divindade entristecer.

Fazer o quê, se o censo ao bem comum
Não existe mais
Amor distante
Homem errante
Diferente dos nossos ancestrais.

Nos lugares mais assombrosos
Desta cidade
Riso inexiste
Povo triste
Cai-se do poleiro em alta velocidade


Pingo de sonho, gota de poesia
“Vida que segue...”
Por mais um dia...
Voemos feito pássaros tontos em melancolia.
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 01/06/2017
Alterado em 11/06/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras